O piso térreo do Shopping está ao nível da rua, e possui um átrio desimpedido do qual se vê o tecto, com as galerias comerciais que correm em volta, nessa tarde, haviam deixado as portas da rua abertas de par em par, e por essas portas entrou um cavalo castanho e lustroso, a passo, sem sela nem cavaleiro, polarizando a atenção de todos, compradores, passeadores e curiosos patológicos. O cavalo avança até ao centro do átrio, imobiliza-se durante longos minutos a sacudir a cauda, e olha em volta como se também ele mirasse de longe as montras, depois, faz meia-volta e volta para a rua, sempre a passo, com uma calma infinita. Mesmo depois dele sair, algo desse cavalo permanece no Shopping, as imagens retidas na memória como um filme indelével, as caganitas em forma de pequenas bolas que ornam as lajes do átrio.


Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue