Diz-nos o senso comum que uma rede de malha pequena capturará os peixes pequenos e grandes, e um de malha mais larga, capturará os peixes maiores, mas deixará passar os diminutos. Duma forma anómala, a tendência é para que as malhas da justiça apanhem sempre o peixe miúdo, que não tem como escapar, enquanto os peixes maiores conseguem tantas vezes esgueirar-se por uma malha que era suposto detê-los.



Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...