Vou dar uma volta a cavalo, para procurar um abericote e comê-lo, há-de ser bom o abericote, maduro e macio, e não há-de ter bicho o abericote, nem mosca branca de saiote, vou dar uma volta a cavalo e procurar um abericote para comer, e darei ao cavalo as folhas do abericoteiro, para ele se deliciar, mas vamos os dois devagar, a passo ou a trote, para que eu não leve com um ramo no fagote em vez de comer o abericote.

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...