Trinta e quatro mangas-de-alpaca levaram cento e oito dias e quatro horas para catalogar e arquivar os quinze mil, trezentos e oitenta e quatro despachos do Ministério dos Assuntos Despachados. Na verdade, havia apenas quinze mil, trezentos e oitenta e três despachos, sendo o despacho fantasma ocupado por um bilhete de amor escrito pela Dona Suzete dos Recursos e Aprovisionamento, ao Mário dos Serviços Arquivísticos, bilhete que nenhum dos trintas e quatro mangas-de-alpaca sabia como arquivar. A solução foi dada por um deles, o Mário dos Serviços Arquivísticos, que o arquivou na algibeira, tentando lembrar-se porque é que nunca respondera ao bilhete.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue