O seu coração era um livro aberto, aberto a todos. Um livro escrito numa língua morta, num país de cegos, com hieróglifos que só ele conseguia interpretar.

(Mas orgulhava-se da disponibilidade do seu coração).

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue