INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página

Ei! books!

Deixo-vos os linques para dois e-books que me deu gosto ler:

Pela seu valor narrativo e estético, o Des Petits Morts, com textos de Pedro Amaral, e a arte de Miguel Moreira.

Pela inovação, o Tamanho Não É. Doc, que reúne micros de cinco autores, Erik Kurkowski Weber, Fabio Cunha P. Coelho, Henry Alfred Bugalho, Rafael T. Okada, e Wilson Gorj.
Muito se tem tentado estabelecer se uma micronarrativa deve ter o máximo de cento e cinquenta, duzentos ou trezentos caracteres. Para quem escreve, ou se tem alguma rotina em criar micronarrativas ou o seu processador de texto tem de ter um contador de caracteres associado a um alarme sonoro; mas todos os textos desta obra foram publicados inicialmente no Twitter, ou seja, têm, forçosamente, menos de cento e quarenta caracteres, o que torna o Twitt no molde ideal para um microconto. Pode-se seguir o exemplo ou esperar que, com o tempo, escrever microcontos se torne numa prática intwittiva.

Dicionário

                O “seu” dicionário não tinha muitas palavras, e entre estas, havia muitas quase virginais, intocadas, outras devassadas e p...