INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página

Deserto de cal

Relaxou-se na cama de rede, munido de um pequeno bloco de notas e uma caneta. Queria escrever algo de diferente, de novo, com a frescura e a novidade que só o ócio mais despudorado consegue atrair. Balançou-se na cama de rede, com a cabeça afundada na almofada grande, as linhas do bloco vazias, e a caneta inerte, humedecida de suor na palma da mão. As palavras não surgiam, nem novas nem velhas, espantava-as o zunir das moscas e o piar dos pássaros nas árvores do pomar. Sobre as linhas desenhou também pássaros, pequenos, estilizados, como pardais pousados em fios de luz. Se não havia meio de aparecerem as palavras, ao menos que se anulasse o vazio, como um bater de asas.

A sombra dos dias

               Um galão direto e uma torrada com pouca manteiga  - pediu a empregada no balcão à colega. Podia até ter pedido antes,...