Coabitar

Afundou o rosto entre as mãos, olhando a mulher com alguma exasperação.
- E que condições são essas, tão importantes assim?
- Não quero confusões de escovas de dentes, é a maior porcaria que me podem fazer. E quero que me entregues a nossa cama de casal. Fui eu que a comprei, e ao colchão. Os nossos corpos andam pelas ruas, mas é na nossa cama que fica o segredo da nossa intimidade, do amor que demos e fizemos, os nossos sonhos.
- Seja! A cama!
O marido sai da sala, dá três passos no corredor do apartamento e abre uma das portas.
- Leonor, ajuda-me na mudança, a minha mulher não nos quer na cama dela!

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue