Gramática, ou a morte do imperador

Perante a multidão revoltada que pedia pão em frente ao palácio, armada de gadanhas e fuzis, o imperador gritou-lhes de uma varanda: "Não hão pão para vocês!".
E isso foi um grave erro de concordãncia.

1 comentário:

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...