Esquecido

Na tenda que a antropóloga montara no luxuriante planalto africano, apareceu diante dela um homem de aspecto simiesco, atarracado, com o corpo todo coberto de pêlos, as mandíbulas largas de dentes salientes, e o crânio oblongo com protuberância occipital.
- Eu sou o elo perdido! - apresentou-se.
- O que tu és, é um caso perdido! Não sei como consegues arranjar uma namorada com esse aspecto.

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...