No futuro

Á hora de ponta, no autocarro voador superlotado, leu uma manchete de um jornal electrónico que um estranho carregava: "Caso raro de longevidade: Mulher no hospital de Lisboa completa hoje cento e cinquenta anos!".
Ficou a pensar nisso. Como é que se chega a uma idade dessas? A beber leite de cabra e iogurtes naturais? Comendo cebolas e aipo? Com a prática do ioga?
Quanto mais pensava no assunto, mais irrequieto se sentia e, por fim, não conseguiu resistir mais, e antes que o estranho abandonasse o autocarro, pediu-lhe se podia ler o resto do artigo.
A resposta era muito simples e vinha no subtítulo: a mulher comatosa estava ligada às máquinas há cem anos.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue