INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página
Sentia aquela necessidade premente de regressar de vez em quando às coisas essenciais da existência, e aproveitando as mini-férias da Páscoa, levou as mulheres e os filhos até á casa de pedra que herdara nas faldas da serra da Estrela. Ao entardecer do primeiro dia, acenderam a lareira, a mulher fez café, e ele, com se cumprisse um ritual sagrado, amassou o folar da Páscoa, como o vira fazer de pequeno, o que requeria tempo e dedicação. A coroa de farinha na tendeira de madeira, o pedaço de fermento de padeiro no centro, que amassava com um pouco de leite e um mínimo de farinha, até formar uma bola de crescente, que deixava a repousar depois de lhe traçar uma cruz em cima com o gume de uma faca. Quase uma hora depois, amassou finalmente o folar, quando o pequeno forno já estava escuro com a lenha a arder - negro antes de ficar branco, como o nigredo e o albedo dos alquimistas - e armou o folar com os ovos cozidos e dois rolinhos de massa, e deixou-o a repousar novamente, enquanto vigiava a massa de pão que levedava ao lado. Tudo crescido e no ponto, cozeu o folar e os pães caseiros, que comeram de seguida com bacon e chouriça. Depois do repasto, as coisas começaram a ficar compostas. A mulher foi assistir ao Bloomberg, por causa da Bolsa, e ele juntou-se aos filhos para jogar PlayStation até chegar a hora do João Pestana.

Dicionário

                O “seu” dicionário não tinha muitas palavras, e entre estas, havia muitas quase virginais, intocadas, outras devassadas e p...