Era uma vez...

...um homem que partiu da sua terra para procurar exílio noutra terra sob um outro céu,
e não sabia a qual deveria permanecer fiel,
se àquela em que nascera e onde as suas raízes latejavam ao som de uma língua diferente e de músicas de uma outra existência,
ou à que lhe deu guarida, oficiosa e oficial, a terra que pisava todos os dias, procurando conhecer o ritmo das suas marés minerais.

Era uma vez um homem exilado e dividido, que refugiou todas as partes de si na pátria íntima do amor de uma mulher.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue