- Sabes, sei que tenho aparecido pouco, mas estou ali ao lado, a escalar outra montanha diferente desta...
- Mas, como é possível? Consegues dividir-te em dois, e escalar duas montanhas ao mesmo tempo?
- Não me expliquei, não sei se é outra montanha, ou outra vertente desta, ou este mesmo caminho que agora sigo, mas do lado de dentro, no verso ou negativo deste.
- Se isso é uma coisa zen, é melhor explicares-me, sílaba por sílaba, a minha imaginação esgotou-se há muito tempo, a assistir à retórica dos políticos.
- Não é zen, não tenho aparecido, prontos! Passa-me mais grampos, por favor!
- Para esta ou para a outra montanha? É que, se for para a outra, não os posso desperdiçar, e esta nossa montanha ainda não tem o topo à vista.
- Está bem, esquece!
- Porquê? Vais por dentro?
- Não, porra, vou apanhar o elevador panorâmico!

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue