INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página

Ode Triunfal

À melindrosa luz do monitor do pêcê,
Escrevo, com a água a escorrer-me na boca,
faminta de todas as gulodices do mundo.
Ó bolachas! Marias, Charmants, Torrrradas
- Ó delícias, rectangulares, redondas, e redundantes,
rolando num r-r-r-r de roedor!
Je vous salue, Marie!
Je vous salue, Belgiens!
Sigo o vosso voo, Joaninhas graciosas,
adejando aos cálices de flores rosa-Hookie,
deitem para fora as vossas Línguas pardas, Gatos de confeitaria,
falem-me de Montezuma e de Malinche, suas perdições achocolatadas
Reconciliem-me com os Clássicos, bolachinhas de Manteiga
Com Tolstoi, Unamuno, e José Rodrigues dos Santos,
Mais não digo
(Não falo da Maria Choc, que era uma stripper
com varizes e rugas e buço,
nem da Tucha, que era nome de revista
porno,
a incinerar as minhas teen-fantasy's)
E por aqui me fico
Vou comer
bolachas, é claro!
(Guardo-te algumas,
Álvaro,
para tasquinhares enquanto te revolves,
na tua alter-tumba).


Dicionário

                O “seu” dicionário não tinha muitas palavras, e entre estas, havia muitas quase virginais, intocadas, outras devassadas e p...