Fado

Inspirado por um verso de Ricardo Reis, achou chegada a altura de construir o seu próprio Fado, erguê-lo acima de si como um vértice sob a lua.
Ergueu andaimes, elevou paredes, forçou harmonias.
Quando o seu Fado ruiu, repetiu-se a confusão de Babel na desordem dos seus membros dispersos.


(...)
Como acima dos deuses o Destino
É calmo e inexorável,
Acima de nós-mesmos construamos
Um fado voluntário
Que quando nos oprima nós sejamos
Esse que nos oprime,
E quando entremos pela noite dentro
Por nosso pé entremos
(Ricardo Reis, "Da Nossa Semelhança")

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue