INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página

Leitura de férias

In "Os Náufragos do Autocarro" de Steinbeck
(Empresa Nacional de Publicidade, 1963):

"Quando chegava a casa tinha sempre uma quantidade de histórias para contar (...). Costumava contar uma sobre Pancho Villa. Dizia que uma pobre mulher fora até junto de Villa e queixara-se: «O senhor matou o meu marido e agora eu e os meus filhos vamos morrer de fome». Villa tinha muito dinheiro nessa ocasião. Dispunha de máquinas de impressão e fazia o dinheiro que queria. Voltou-se para o tesoureiro e ordenou: «Arranja cinco quilos de notas de vinte pesos para esta pobre mulher». Nem se dava ao trabalho de contá-lo, tal era a fartura. Assim se fez, as notas foram amarradas com arame e a mulher foi-se embora. Bom, depois, um sargento disse a Villa: «Houve um engano, meu general. Nós não lhe matamos o marido. Ele é que apanhou uma bebedeira, e nós metemo-lo na cadeia». Pancho ordenou então: «Vão fuzilá-lo imediatamente. Não podemos desapontar aquela pobre mulher»".

Dicionário

                O “seu” dicionário não tinha muitas palavras, e entre estas, havia muitas quase virginais, intocadas, outras devassadas e p...