INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página

Manhã

É na infância que se aprende a amar, como a morrer, de muitas formas, são dores de acrescimento, somam-se coisas dentro de nós, cujo produto é líquido e cujo resto é, quase sempre, zero. Os dias liquefazem-se e correm como regatos de chuva, transportando húmus e areia estéril para um estuário que ainda não nos é dado conhecer. Nesse estuário adiado, os nossos gestos cansados semearão quimeras entre flores silvestres enquanto escutamos os ecos, preciosos e enganadores, das outras vidas que em nós foram.

3 comentários:

  1. e virão a ser. convém não esquecer :)

    gostei bastante.

    ResponderEliminar
  2. Sempre a esperança, Maria!
    ;)

    ResponderEliminar
  3. é. estou condenada à esperança. pelo menos é o que a vida me tem ensinado.

    ResponderEliminar

Rainha

                Subiu lesto os parcos degraus que separavam o átrio do hotel do recinto sobrelevado onde haviam instalado a receção. Ab...