João tem Sida e esconde-o, transmitindo-a deliberadamente à sua mulher e mulheres.
Quando se descobre, elas incriminam-no, todas, a legítima e as de belas legs. No tribunal, João justifica-se: «Sempre tive medo de morrer sozinho!».

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...