Cão Menor

Já tinha saído de casa para o seu passeio matinal, quando reparou bem nas nuvens - escuras, a cobrir quase todo o céu, com o Sol a insinuar-se nos interstícios. Voltou para dentro, trocou os ténis por umas botas, vestiu um impermeável com capuz, e saiu novamente à rua. Já tinha andado uns cinquenta metros quando achou que ainda faltava qualquer coisa, voltou ao seu quintal, deixou o Boxer que ia levar a passear, e colocou antes na trela o seu Cão de Água.

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...