Histórias Zen 2

1

No meio de um jardim Zen, com a areia moldada em espirais e ondas em volta de rochas e Bonsais, um monge faz de estátua, com os cabelos cheios de laca para que o vento não agite as espirais e ondas dos seus caracóis.

2

- Mestre, eu ando há anos à procura de mim mesmo...
- Fico feliz por ti, se és capaz de reconhecer isso, é porque já te encontraste!
- Mas, Mestre, se assim é, porque é que eu continuo a procurar-me?
- Hum! Deixa-me ver...Será que é porque nunca encontraste as chaves do carro?

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...