Às vezes sentimo-nos como uma daquelas figuras dos quadros de Dali com gavetas abertas ao longo do corpo...

(Não, não era bem isto que eu queria dizer!)

Às vezes sentimo-nos como uma daquelas figuras dos quadros de Dali com gavetas abertas ao longo do corpo, depois da passagem de uma mulher-a-dias que arrumou as coisas à sua maneira, tirando-nos qualquer possibilidade de encontrar o que quer que seja.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue