O quê? Ainda trabalhas aqui! Olá! Já não nos víamos desde o concerto dos Simple Minds! Ainda estudas? A última vez que te vi foi há seis anos, aos pulos por trás do entrevistado naquela peça do noticiário.
Os conhecidos andavam arredados da nossa vista durante as intermináveis horas de trabalho, encofrados em lojas, escritórios e consultórios, cortando cabelos ou a fazer chamadas. E, de repente, voltam todos à nossa rotina.
(Temos sempre de ver as coisas pelo lado positivo. Desde que entrou em vigor a nova lei do tabaco que encontramos mais gente conhecida nas ruas, sorvendo fumo como oxigénio).

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...