Sociedade

Na cidade onde vivo, os comerciantes acordaram entre si em embelezar as ruas, colocando cada um, uma árvore de natal á porta do estabelecimento. Estas árvores têm uma identidade própria, a da loja a que pertencem. Já vi árvores decoradas com pães secos, embalagens de perfume, cd's, cabides de roupa, parafusos, chávenas de café, trinchas de pintura, etc. Por mero acaso, ou por um imperativo subconsciente, confesso que ainda não passei à porta de nenhuma agência funerária.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue