INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página

Monstros

-Tenho medo, mãe! - Murmurou no escuro, aliviando a cabeça fusiforme do peso do seu décimo tentáculo com olhos - Tenho medo do que está lá em cima.
-Não tenhas medo, hás-de ver que não é nada, sombras caprichosas, as molas do colchão que rangem por estar tensas.
-Não, não é verdade, eu vi! Tinha só uma cabeça, dois braços e duas pernas e deitou-se em cima da nossa cama!
-Parvoíces! É da idade! Imaginas monstros em cima da cama e no alto das escadas da cave, semelhante coisa não existe, vá lá, fecha os teus trezentos e vinte olhinhos e tenta dormir. De manhã, as coisas vão parecer menos assustadoras.

A sombra dos dias

               Um galão direto e uma torrada com pouca manteiga  - pediu a empregada no balcão à colega. Podia até ter pedido antes,...