INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página

"um lugar sem trevas"

Uma Caixa de Multibanco fora de serviço. Duas. Na primeira que encontrei em funcionamento tinha dois tipos à minha frente. Decidi esperar. As manhãs de Domingo são uma altura tramada para sacar dinheiro às máquinas. O sujeito à minha frente olhava-me repetidamente de soslaio (talvez me conhecesse), cabeça pequena de pescoço enterrado entre os ombros e gordo que nem um abade, olhava em volta como uma lente de periscópio e voltava a fixar-me.
- Pssiu!
Era comigo. Resmunguei um vago Sim?
- Isto tudo não o revolta? - não respondi, e ele explicou-se - os Bancos, os gigantes financeiros, tudo o que nos finge dar crédito, sempre à espera que a hipoteca vença para nos poder esfolar vivos. Todos nos fazem a ficha e sabem tudo sobre nós, se usamos o cartão de crédito no bazar de caridade ou na casa de putas, se compramos um revólver ou se demos um peido. Tudo o que existe sobre nós está guardado dentro de discos rígidos com o tamanho de rodas de tractor, e eles põem e dispõem de nós sem qualquer pudor. Já não somos nós, somos um tracinho num código de barras, um dígito sem valor num mar de números.
Mais um neurótico na fantasmagoria das conspirações. Como não lhe dei troco, o tipo desinteressou-se e largou-me a braguilha. Foi um alívio. Chegou a vez dele e perfilou-se diante da Caixa, com a cabeça a menear de um lado para o outro como se procurasse alguma coisa, talvez a câmara de filmar. Executou uma operação qualquer, com o torso em concha sobre o teclado, recebeu o talão e emitiu um guincho pavoroso. Dirigiu-se de novo a mim, mas desvairado. Agarrou-se-me ao braço e agitou o talão no ar.
- Eu não lhe dizia, eles controlam tudo e fazem o que querem de nós. Depositei dinheiro, DINHEIRO! Em notas, e verdadeiras! E o que é que eles me dizem? Que o meu dinheiro só vai estar disponível após a conferência. Obrigam-me a esperar pelo fim da conferência dos poderosos G-8, para eu poder fazer o que quero com o meu pobre dinheirinho!

1 comentário:

  1. Adorava ter presenciado essa cena, acredita!
    Só isto para me fazer rir, hoje.
    Queres saber a melhor?
    Trabalho num banco...rsssssss

    ResponderEliminar

Rainha

                Subiu lesto os parcos degraus que separavam o átrio do hotel do recinto sobrelevado onde haviam instalado a receção. Ab...