Macambúzio

Os dias parecem todos iguais, bronze fundente arrefecendo dentro de moldes velhos, vento enredado nas pás do moinho, água benta da Fonte da Virgem, levada até à mão crédula do peregrino de promessas por canos galvanizados e sepultos, evoco, amarroto, a epifania dos meus devaneios de infância, quando escutar um búzio era escutar o mar distante, anunciado ante mim por uma magia mítica, hoje escuto os búzios e os acho uma fraude, como os dias, oferecendo rumores falsos de uma falsa imensidade. Eu podia ser diferente, tudo podia ser diferente, se os dias não fossem todos iguais.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue