INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página

Lesões internas

Depois de muita cogitação, o ex-inspector de Judiciária e escritor policial laureado, chegou a um plano magnífico e acima de toda a suspeita para assassinar a esposa. Num recanto escuro do sótão, criou uma piranha comprada numa loja de animais. Todos os dias lá ia a pretexto de "ver os papéis", e levava-lhe comida, tirinhas de carne que atirava para a água, para saciar aquela boca voraz. Não a podia engordar demais, porque convinha que ela se mantivesse pequena e escorreita. Num Sábado à noite, embebedou a mulher e deu-lhe a beber a piranha num copo de vinho. A piranha mergulhou na garganta até ao estômago onde ficou a boiar num charco de vinho. Desagradada com o aperitivo, começou a abrir um túnel na carne para sair. Por buracos travessos chegou à bexiga e viu a porta de saída. Esgueirou-se pela vagina e foi apanhada pelo inspector, que se apressou a fazer desaparecer a cúmplice.
O escritor não ficou satisfeito com a operação. A mulher não morreu e, pior do que isso, agora nem sexo pode pensar em ter com ela, já que lhe sai merda em esguicho por onde costumava sair o mijo.

A sombra dos dias

               Um galão direto e uma torrada com pouca manteiga  - pediu a empregada no balcão à colega. Podia até ter pedido antes,...