Seiva 2

(Perdem-se coisas pelo caminho, idílios, amigos, lugares, sonhos - perdas que nos distanciam de nós, criando lacunas, incompletitudes que moem e remoem devagar. Amadurecemos! Não podemos conservar tudo connosco, tem de haver algumas cedências, pequeninos sacrifícios. Amadurecemos no nosso casulo nostálgico e esgotamos o porvir. A podridão é o nosso destino)

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...