INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página

leveza

Não é qualquer um que consegue andar nas nuvens, é necessário disciplina e savoir faire para ser um bom nefelibata. Andar nas nuvens, não é um passeio para todos os dias, guardem-se para isso as manhãs dos Domingos e Feriados, há mais gente a dormir e assim evitam-se os encontrões e cotoveladas. Sem ingerir muitos alimentos (um copo de leite ou iogurte e uma tosta devem bastar), vista-se um fato leve e informal, solto e esvoaçante para condizer, deixe-se o calçado em casa e esqueça-se a parafernália de residentes de algibeira - porta-chaves, telemóveis, corta-unhas, blocos de notas, canetas, canivetes suíços, facas de mato. Pode-se começar a caminhar a partir de um terraço ou da empena de uma casa, ou optar pelos espaços naturais, um fraguedo junto ao mar ou um cômoro isolado. Por andarmos carregados com dramas e ansiedades que pesam como mercúrio, poderá sentir alguma dificuldade nos primeiros passos, mas pouco a pouco irá começar a sentir-se mais à vontade, desanuviado e isso fa-lo-á sentir-se mais seguro e confiante. O passeio ideal deverá começar pelas primeiras horas do dia para aproveitar o ar fresco e saturado onde é mais fácil caminhar, e cessar antes do meio-dia, antes do calor e do peso do almoço. Como em todos os passeios, mas por mais razões, devemos tentar não fazer lixo e, sobretudo, não cuspir para o lado.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Rainha

                Subiu lesto os parcos degraus que separavam o átrio do hotel do recinto sobrelevado onde haviam instalado a receção. Ab...