expediente

Tenho de dar um jeito na minha vida, pensou, alargá-la um pouco mais. Ajustou a sua vida à forma torneada de uma forma de sapateiro, com mil cuidados para não a puir ou descoser, e rodou a rosca do engenho, forçando-a a dar-se um pouco mais. Fez uma pausa para humedecê-la com álcool, e voltou a rodá-la novamente, com a palma da mão transpirada em volta do grampo de punho, só se detendo com medo de perder a obra. Com o coração aos pulos, pegou na forma vestida com a sua vida, e depositou-a em cima duma mesa num canto escuro. Tinha de esperar, esperançoso, até estar seca. Talvez assim - quem sabe? - deixasse de ser uma criatura acuada e presa, e se sentisse caber dentro da sua própria vida.

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue