armazém


Arranjou um marco de correio, alto e vermelho, muito londrino. Colocou-o no seu escritório, ao lado do computador, um cabo ligava-os. (O seu serviço de mail não bloqueava o Spam).

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...