manhã

A meia-noite era o cabo da Boa Esperança, do outro lado esperava-o a Índia ígnea e solar de Surya e Xiva. Dobrou a meia-noite e ficou a espreguiçar-se nas margens do Índico, a comer caril de galinha e a beber cerveja Laurentina.

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...