ele

Sempre sentiu que do outro lado - do mundo, do muro ou da consciência - havia quatro ou cinco palavras elementares onde se umbilicavam todas as outras. Começou a descartar as palavras excedentárias para isolar as que interessavam. Não as encontrando, foi devorado pelo silêncio.

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...