desoras



Não há lugar para nostalgias, não há antes nem dias incompletos, o presente pinga como as gotas d'água duma clepsidra, mas é o relógio digital, electrónico e ergomaníaco, que regista nos gráficos o desempenho e a produtividade das pessoas.
Oito minutos de paragem não-justificada em oito horas de trabalho!! O que esteve a fazer? A olhar o ontem? A pensar na morte da bezerra e na matança do porco? A conversar por conversar? A inventar palavras?
Não há lugar para nostalgias e sonhos. Não é isso que a fábrica produz, embala ou vende.

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...