aprender

"Já tive dias diferentes, límpidos e sem angústia. E isso foi quando? Numa outra vida? Não, é verdade! Tive dias fáceis e leves. Quando tinha uns vinte e dois anos, não existia antes nem depois, a vida presente chegava-me e era plena como uma noite bem dormida, as pessoas e as coisas estavam nos lugares devidos e nada parecia ter o poder de acabar ou morrer sem o meu consentimento. O que é que aconteceu? Em dois ou três dias de dor, aprendi que nada é estável ou seguro e as coisas acontecem apesar de nós e mesmo as nossas estruturas íntimas, onde víamos arquitecturas sólidas em ferro e betão, revelam ser frágeis e perecíveis como um fio de seda. Nós e os nossos sonhos, somos meras fantasias quânticas que se desvanecem. Em dois ou três dias de dor, a morte ensinou-me tudo isso de uma só vez".

Mensagens populares deste blogue

A viagem

Abril de 1918 - o caminho para uma Primavera de sangue