splash

"Já chega! Sou um ouriço mas já não quero ser um ouriço-cacheiro, não me vou esconder mais, nem andar de espinhos eriçados" - e, ufano e cheio de confiança, começou a atravessar o alcatrão da auto-estrada.

Sem comentários:

Enviar um comentário

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...