INSTRUÇÕES:

Outros dados, e cartas, no final da página
Os fantasmas estão quietos, com esta chuva e a esta hora da noite não andam por aí, estão arrumados na estante da despensa entre a farinha de cozer pão e o saco de plástico com Erva de S.Roberto, ou engomados e dobrados nas gavetas da cômoda, cheirando a cânfora para não ganhar pulgas. Daí esta paz e esta solidão, este langor de água da chuva a marulhar nos telhados, esta tranquilidade absurda de objectos inertes e absolutos à minha volta. Quero que a paz vá para as urtigas. Não consigo escrever sem os meus fantasmas.

Dicionário

                O “seu” dicionário não tinha muitas palavras, e entre estas, havia muitas quase virginais, intocadas, outras devassadas e p...