mãos atadas

Estamos presos por cadeias de veludo a obrigações e compromissos, manietados a pessoas e coisas que nos pesam sem que nos possamos libertar delas, trabalhos ingratos, patrões e chefes hostis, professores incompetentes, a família que nos subjuga, a hipoteca do banco, o empréstimo para o bem de luxo, o medo das partilhas, a escravatura dos bens. O estranho de tudo isto, é que é a consciência ou a convicção de não nos podermos revoltar, que faz de nós uns revoltados.

2 comentários:

  1. "...O estranho de tudo isto, é que é a consciência ou a convicção de não nos podermos revoltar, "

    Será?

    Ou será cómodo pensar assim?

    ;)

    ResponderEliminar

arenga sobre o amor

«Tu és a mulher amada: destrói-me! Tua beleza /Corrói minha carne como um ácido! Teu signo / É o da destruição! Nada resta / Depois de ti ...